23 de abril de 2014

Rochaforte, os folares, as bolecas de frutos secos, as mãos de uma menina a aprender e a Deolinda - 2º parte

Os melhores folares do mundo :-)
Este não é da D. Arminda. Foi feito noutra terra, mas a massa creio que é similar.



As bolecas de frutos secos.


Com bocadinhos da mesma massa dos folares, Rochaforte, (cheia de tradições :-), faz umas bolinhas recheadas com frutos secos, cuidadosamente misturados. 
- As passas estão muito caras, queixa-se a D. Arminda!
Mas nem isso a impede de fazer as bolecas. Pedidas por familiares no estrangeiro, a D. Arminda não consegue resistir aos pedidos e, carinhosamente faz umas quantas para enviar por correio.
Estas eu provei, já que os folares foram à conta para os pedidos de clientes. São deliciosas!


 
Simplesmente deliciosas :-)

A Iara é neta da D. Arminda e esteve todo o tempo entretida com uma bolinha de massa, que a certa altura já tinha mudado de cor :-)
Dava gosto ver o olhar orgulhoso desta menina, com cada figurinha infantil que fazia com a massa ;-)


 

E com o cãozinho perfeito da Iara me despeço até ao próximo ano. Espero que o forno da minha mãe esteja preparado para os folares que tenciono fazer.
Não foi usado desde que a nossa querida Deolinda (Lhi)deixou a aldeia. Temos muitas saudades dela, era uma pessoa querida por todos e para todos. Uma senhora simples mas de uma generosidade que poucos se podem orgulhar. Tenho a certeza que ela, lá no céu, aguarda ansiosa, que alguém use o forno onde ela fazia os folares para nós e nos irá abençoar.
Obrigada Lhi por tudo o que ensinaste à minha mãe, a nós e a toda a aldeia. Pelo amor e atenção que deste à minha mãe desde que ela nasceu. 
Nunca te esqueceremos.


Um beijo a todas as mulheres que continuam a manter as tradições nas aldeias e um beijo do tamanho do mundo para ti, Lhi.






20 de abril de 2014

Rochaforte, o folar da D. Arminda e uma tradição que eu não quero perder - 1ª parte


A D. Arminda é hoje a única habitante da aldeia de Rochaforte a fazer os folares típicos da terra. A minha querida Lhi (Deolinda) deixou de herança a sua sabedoria na arte de fazer estes maravilhosos folares, que são tradição na Páscoa, aqui numa aldeia da Serra de Montejunto, onde a minha mãe nasceu.
A D. Arminda, ensinada pela Deolinda, e com um amor dedicado, faz hoje os folares para todas a encomendas, desta quadra e são muitas! Até de Lisboa chegam pedidos :-) É a única a fazê-los, desde que a Deolinda nos deixou. São sabedorias que desejo muito que não se percam.
Passei a manhã com a D. Arminda e com a sua neta, a Iara, sempre ao seu lado entretida com uma bolinha de massa, tentando aprender o segredo de tão delicioso folar.
A massa foi feita logo de manhã cedo, mas começou a ser preparada na véspera!
 

Ingredientes


2kg de massa para 6 folares

500g de açúcar branco
500g de açúcar amarelo
500gr de farinha com fermento
1 1/2kg de farinha sem fermento
Raspa de 3 limões
6 ovos inteiros
1 colher de chá de canela (pode pôr-se mais, a gosto)
1 colher de chá de bicarbonato
1 colher de chá de fermento royal
1 cálice de aguardente
1 colher de sopa de fermento de padeiro
1 colher de sobremesa de fermento de padeiro
Água
Na véspera

Num tachinho desfazer a colher de sobremesa de fermento de padeiro num pouco de água. Juntar os 500gr (mais ou menos) de farinha. Ir juntando água aos bocadinhos até fazer uma bola húmida. Cobrir com a tampa do tacho e deixar a levedar até ao dia seguinte.

Massa levedada. Fotografia tirada na Páscoa de 2012, ainda pelas mãos da Deolinda


Preparação
No dia seguinte e usando um alguidar de barro, juntar todos os secos: de um lado do alguidar os açúcares e os ovos, (os ovos devem ser juntos no açúcar para não granularem na farinha). Do outro lado a farinha, o fermento royal, as raspas de limão, a canela, e o bicarbonato de sódio. Amassar tudo depois.
Desfazer a colher de sopa de fermento de padeiro num pouco de água e adicionar aos secos, seguido da massa levedada do dia anterior. Ir amassando muito bem deitando água morna aos poucos. 
a aguardente é a última coisa a deitar.
O resultado final depende das mãos que amassam. É nessa arte que reside o segredo.
São sempre necessárias duas pessoas. Uma para amassar e outra para segurar o alguidar, pois é preciso muita força.
A massa deverá ficar a despegar do alguidar. Deve descansar cerca de 3 horas dentro do alguidar salpicada com farinha e coberta com panos.
Depois do descanso fazem-se bolas de massa, sempre passando primeiro as mãos por farinha. Vai-se cortando a mesma quantidade com uma faca. Colocar as bolas numa bancada enfarinhada.
Colocar um ovo previamente cozido em cada folar e enfeitar a gosto.
Pincelar com ovo batido. Este trabalho foi feito pela D. Maria Alice.
A D. Arminda tem umas formas de inox que usa para colocar os folares. Forra o fundo com uma folha de papel pardo e polvilha com farinha.
Vão a cozer num forno a lenha que é aceso quando estão feitos cerca de metade dos folares.
Esta parte coube ao dedicado marido da D.Arminda, o sr. Onorato. Que cada vez que entrava na casa do forno soltava ais de contentamento, dizendo: Estão tão bonitos :-)






 





 
No final tapam-se com mantas e deixam-se assim, abafadas, até se comerem ;-)
Talvez para o ano seja eu a fazê-los, agora que aprendi :-)

Segue uma 2º parte.
Beijinhos e uma Páscoa feliz para todos. 



13 de abril de 2014

Bundt de iogurte e lima para agradar a Primavera


O que é a Primavera? 
Eu digo; Primavera é o sol que aquece, mas não queima. São os passarinhos que chegam, não partem. São os dias grandes, não pequenos. É o céu azul, não cinzento. São os campos floridos, não castanhos. São os jardins povoados, não vazios. São crianças que brincam na rua, não fechadas em casa. São piqueniques ao ar livre, não no chão da sala (como fazemos por aqui :-). São sandálias, não botas. São roupas leves, não cachecóis de lã. São sorrisos brilhantes, não escondidos pelo nevoeiro. São bolinhos leves, de lima ;-)
O que é um bundt?
Eu digo; é um bolo de buraco no meio, fácil fácil!
O que é a Primavera?
É um bolo de buraco no meio, de lima... com passarinhos :-)
Este bundt vai direitinho para a Mena, As Aventuras de Uma Mamã, para a sua Bundtmania. Vai ficar lado a lado a acompanhar o bolinho fantástico ela fez.
O meu bolinho bundt primaveril de iogurte e lima... deixo com vocês.
 

 Bolo de iogurte e lima

Ingredientes
1 iogurte natural
3 medidas de açúcar
1 medida de óleo
4 ovos
raspa de uma lima e sumo de meia
3 medidas de farinha
1 colher de chá de fermento
açúcar de confeiteiro
raspas de lima

Preparação
No copo da batedeira juntar o iogurte, o açúcar e as gemas. Bater bem até ficar um creme espesso. Adicionar o óleo, a raspa da lima e o sumo (só de meia lima).
No final, envolver suavemente a farinha peneirada com o fermento seguido das claras em castelo bem firme.
Deitar numa forma untada com margarina e polvilhada com farinha. Vai ao forno a 180º / 170º.
Fazer o teste do palito para verificar a cozedura.
Depois de esfriar polvilhar com açúcar de confeiteiro e decorar com raspas de lima.
Bom lanche e uma feliz Primavera


Um beijinho à Mena e à Lia, as meninas lindas da bundtmania.
Aproveitem a Primavera. Eu vou de férias! Para a Serra de Montejunto :-)





11 de abril de 2014

Crinkles de cenoura num dia dourado



Eu adoro o sol. Não me canso de dizer. Eu adoro o sol, o calor e tudo o que vem com ele.
Os dias claros, o céu azul, o calor a tocar a pele. Adoro as sombras e as cores dos dias de Primavera. Adoro calçar as minhas sandálias e vestir roupas leves, sinto-me mais leve também.
No caminho para o trabalho delicio-me a apreciar os campos floridos e páro o carro para apanhar flores. Apanho as flores que crescem selvagens, que não pertencem a jardins. São roxas, amarelas, margaridas brancas, as minhas preferidas. E vou substituindo as jarras, sempre com flores frescas. Fico triste quando secam.
É nestes dias dourados que mais gosto de estar na cozinha, rodeada de colheres de pau, farinha e tabuleiros. Gosto de fazer bolachinhas com o sol a entrar pela janela e ver o brilho com que ficam.
Foi no ambiente dourado da cozinha, que fiz as minhas crinkles para o passatempo Vamos fazer Bolachas  da Manuela, do Cravo e Canela. E que lindas ficaram!
Vejam e levem quantas quiserem, para acompanhar o chá, num lanche dourado entre amigos.



Crinkles de cenoura

Ingredientes
230g de farinha
115g de açúcar
2 (ou mais) colheres de sopa de cenoura ralada (descascada e crua)
2 1/2 colheres de sopa de óleo
1 ovo
1/4 colher de chá de baunilha em pó
1 pitada de sal
1 colher de chá de fermento
Açúcar de confeiteiro para envolver

Preparação
Numa tigela deitar açúcar de confeiteiro suficiente para envolver as bolinhas e reservar.
Misturar todos os ingredientes e fazer bolinhas usando como medida uma colher de sobremesa.
Envolver as bolinhas no açúcar de confeiteiro e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal.
Com um espátula ou à mão, achatar ligeiramente as bolinhas depois de estarem no tabuleiro.
Vão ao forno aquecido a 180º exactamente 12 minutos (eu puz 10 minutos primeiro e depois acabei por pôr mais 2, e realmente foi melhor).





Divirtam-te... ficam deliciosas ;-)



5 de abril de 2014

Telita na Cozinha, Odisseias e uma bolo de polenta e rosmaninho



Quando me falam em viajar estou sempre pronta!
Tenho lindas recordações de viagens e passeios feitos com os meus pais. O meu pai adorava, (e adora), surpreender-nos com passeios. Uma manhã, eu devia ter uns 13 anos e estávamos nas férias do Carnaval, o meu pai e dirigiu-se a nós e apenas nos disse: meninas, (o meu irmão ainda era bebé), preparem uma mala com roupa quente para 3 dias... Mais nada! De repente estávamos em Espanha e pela primeira vez eu estava a ver e a sentir a neve. Foi um dos passeios inesquecíveis que fizemos... e outros se seguiram, como uma viagemn a acampar entre Espanha, França e Itália e nessa viagem a ida à Eurodisney. Em Agosto, no ano da sua inauguração (Abril de 1992)... já lá vão 22 anos!

 

E de repente aparece este passatempo da Odisseias, com quem a Telita na cozinha  fez uma parceria, não podia vir mais a calhar. Com o trabalho e rotina diária sabe bem sair a dois. Desanuvaiar o espírito, comer num lugar romântico ou mesmo experimentar um menu diferente.
Apesar deste passatempo não trazer propriamente viagens, trás outras coisas boas para aproveitar; três packs que podem fazer as delícias de um fim de semana a dois. Uma aventura a dois em paladares e gourmet. Afinal eu gosto mesmo é de petiscos e delícias :-)
E para completar o fim de semana apresento um bolo de polenta e rosmaninho. Diferente, mas delicioso!




 Bolo de polenta e rosmaninho

Ingredientes
450g de manteiga
225g de polenta (sêmola de milho)
1 colher de chá de fermento
450g de açúcar
450g de amêndoa ralada
6 ovos
raspa de 2 limões
3 colheres de sopa de rosmaninho picado

Syrup
sumo de 2 limões
50ml de água
2 raminhos grandes de rosmaninho
100g de açúcar

Preparação
Forrar a base de uma forma com papel vegetal, untar e polvilhar com farinha. 
Misturar a polenta com o fermento. No robot de cozinha bater os 450g de açúcar com a manteiga ligeiramente amolecida. Deverá ficar cremoso e leve.
À parte bater os ovos e adicionar a raspa dos limões. Juntá-los depois ao açucar e à manteiga.
Adicinar de seguida o rosmaninho bem picadinho, a polenta com o fermento e a amêndoa ralada. Ligar com a batedeira em baixa velocidade.
Deitar a massa na forma, (fica um pouco espessa), e alisar.
Vai ao forno a 170º cerca de 1h e 30m

Deixar o bolo descansar  na forma.

Preparar o syrup
Num tachinho deitar o açúcar e os 50ml de água, os ramos de rosmaninho e o sumo dos limões.
Mexer alguns segundos até dissolver o açúcar. Deixar ferver por 2 minutos.
Ficará espesso como um xarope.
Desenformar o bolo, retirar o rosmaninho da calda e verter sobre o bolo.




Como já devem ter percebido eu ADORO este pratinho :-)
Boa sorte para todos e para mim também, é claro.




Pin It button on image hover